Empréstimo consignado Auxílio Brasil: vale a pena fazer?

A Medida Provisória (MP) nº 1.106 foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no final da semana passada. O texto regulamenta a concessão de empréstimo consignado aos beneficiários do Auxílio Brasil, que também dá acesso ao crédito, que foi ampliado de 35% para 40%.


A iniciativa é bastante nova considerando que até então beneficiários de programas sociais e os cidadãos que dependem de todo tipo de transferência de renda não tiveram acesso a esse tipo de empréstimo. Por isso, surge também a pergunta: vale a pena fazer o empréstimo consignado Auxílio Brasil?

É essa pergunta que vamos responder a seguir. A MP foi criada com o objetivo de compilar um conjunto de medidas para estimular a economia do país. O prazo está programado para começar em 16 de maio e pode ser prorrogado automaticamente por mais 60 dias. Decorridos os 45 dias da data de publicação, o texto será encaminhado a portaria de emergência até a sua estimativa.

O texto atual altera a Lei 10.820 de 2003, que regulamenta o empréstimo de salários, bem como conforme Lei 13.846 de 2019, que dispõe sobre benefícios previdenciários para definir como a restituição de valores creditados seria feita indevidamente em favor de determinado beneficiário, que normalmente seria falecido.

Como vai funcionar o empréstimo consignado no Auxílio Brasil?

O empréstimo consignado do Auxílio Brasil pode ser bem útil, pois aumenta a condição de crédito do cidadão. Ele funciona como um crédito comum, todavia, é mais acessível do que estão no mercado. Isso porque, como há uma renda garantida a ser descontada, é possível fazer a consignação. A porcentagem é, ainda, bem atrativa.

Do valor total da renda líquida, o empréstimo pode colher até 40%. Essa margem aumentou, também, com a MP que recebeu a aprovação, pois era de 35%. O aumento de 5% irá, provavelmente, aumentar ainda mais a demanda pelo empréstimo.

Esse teto é o limite obrigatório do empréstimo. E ele determina, também, qual porcentagem será direcionada a cada coisa. São 35% para o empréstimo, com os 5% restantes para o cartão de crédito.

Num exemplo simples, peguemos o valor de R$ 1.212 do BPC. R$ 424,2, ou 35% desse valor, irão para o empréstimo. Cumprindo o resto da margem, há ainda os R$ 60,6 (ou 5% da renda) para o cartão de crédito.

empréstimo consignado auxílio brasil

auxílio brasil

Auxílio Brasil tem novos integrantes em Março: confira as datas e outras informações!

O valor do benefício, em Março, teve média de R$ 409,80. Os pagamentos ocorrem de acordo com datas que seguem o fim do NIS, o Número de Identificação Social. Confira o seu:

  • NIS 1: 18/03
  • NIS 2: 21/03
  • 3: 22/03
  • 4: 23/03
  • 5: 24/03
  • 6: 25/03
  • 7: 28/03
  • 8: 29/03
  • 9: 30/03
  • 0: 31/03

O Auxílio Brasil destina-se a pessoas que pertencem a famílias em extrema pobreza. Nesse caso, a renda per capita mensal é de até R$ 105. A assistência também ocorre para as famílias que estão em situação de pobreza, com renda per capita mensal de no máximo R$ 210.

Além disso, é possível tirar dúvidas em três meios:

  • Número 121, do Ministério da Cidadania;
  • Número 111, canal da Caixa para atendimento ao cidadão;
  • Aplicativo do Auxílio Brasil.

Você pode movimentar e acessar o dinheiro usando o app do Caixa Tem. Para pagar contas, é possível utilizar o QR Code, bem como o cartão de débito virtual.

Para consultar o benefício, é possível, também, acessar o app do Caixa Tem ou do Auxílio Brasil.

O vale-gás, por sua vez, ocorre nos meses de número par. Portanto, somente em abril é que você receberá o valor, que gira em torno de R$ 50.

Após o novo programa do governo, pessoas que recebem Auxílio Brasil também podem tomar empréstimo consignado. O valor do desconto ocorre na folha de pagamento, e pode ser de até 40% do valor total. Dessa porcentagem, 35% são para empréstimo pessoal, e 5% para cartão de crédito.