Bancos digitais: como criar e usar uma conta digital no exterior

As fintechs têm ganhado bastante espaço nos últimos anos; agora, sua popularidade aumenta entre as pessoas que pretendem sair do país

(Crédito: iStock)

O desenvolvimento desenfreado de novas tecnologias favoreceu o cenário para a criação de inúmeras startups, entre elas as fintechs. Os bancos digitais, por exemplo, estão entre os empreendimentos mais populares dessa categoria e são um fenômeno de sucesso em todo o mundo, não somente no Brasil. Para aqueles que viajam frequentemente para o exterior, ou que possuem planos para passar alguns meses fora, abrir uma conta em uma dessas instituições pode ajudar a tornar a estadia mais confortável e econômica. Confira algumas dicas de como abrir uma conta em um banco digital no exterior e suas principais vantagens.

A expressão fintech deriva das palavras financial e technology (tecnologia financeira), do inglês, e dá nome a uma categoria de empresas do ramo financeiro que operam através de inovações tecnológicas. Os bancos digitais são o exemplo mais expressivo desse modelo de negócios, e seu maior diferencial e benefício em relação aos bancos tradicionais é a maneira mais simples e menos burocrática de fornecer os mesmos tipos de serviço a qualquer momento, através de dispositivos eletrônicos, como computadores, smartphones e tablets, conectados à internet.

As operações serem realizadas inteiramente no âmbito virtual é um grande atrativo para a maioria dos usuários. Através dessa característica, as funcionalidades são acessíveis a todos os clientes 24 horas por dia, e os problemas podem ser solucionados sem a necessidade de se dirigir a uma agência física ou falar com um gerente. Transações bancárias como pagamentos, transferências ou até mesmo a consulta da fatura de cartão de crédito podem ser realizadas de qualquer lugar, desde que possua conexão à internet, de maneira ágil e eficiente.

Por não possuírem agências físicas, o custo operacional dos bancos digitais é muito menor que os bancos tradicionais. Dessa forma, é possível oferecer isenção de uma série de taxas diferentes aos clientes, beneficiando-os com serviços de qualidade a um custo bastante reduzido.

Essas vantagens não são exclusivas das fintechs brasileiras. Bancos digitais operam dessa mesma maneira em todo o mundo, conquistando clientes com seus serviços e soluções financeiras acessíveis a todos. Abertura de conta simplificada e rápida, dentro de alguns dias, isenção de taxas de manutenção da conta e inexistência de anuidade no cartão de crédito são algumas das vantagens mais frequentes.

Dessa forma, a abertura de uma conta digital é muito fácil de ser feita em qualquer lugar, e pode ser extremamente vantajosa nos casos de viagem para o exterior. Independentemente do motivo, seja ele a trabalho, estudo ou apenas turismo e lazer, o banco digital traz uma maior segurança ao passeio como um todo. Entretanto, a finalidade da estadia deve ser considerada antes de contratar os serviços de alguma dessas empresas. Algumas opções podem ser mais interessantes para a realização de investimentos, e outras podem ser mais favoráveis para quem deseja fixar residência no país; já quem vai ficar apenas alguns meses pode ter suas necessidades atendidas por uma outra financeira.

A abertura pode ser realizada de maneira semelhante a como é feita no Brasil. São solicitados dados pessoais, documento de identificação (preferencialmente, passaporte), um comprovante de renda e também de endereço, além de um depósito inicial para ativação da conta. Entretanto, a depender da instituição, podem ser exigidos documentos adicionais, como a comprovação da relação que o solicitante possui com o país.

No Brasil, toda vez que efetuamos um pagamento de produtos ou serviços em moeda estrangeira, é aplicado o Imposto de Operações Financeiras (IOF). Atualmente, nas operações de câmbio, como troca de moeda ou compras internacionais, essa taxa é de 6,38%. Utilizar o cartão de crédito durante a estadia em país estrangeiro pode acarretar em um pagamento de taxas em excesso, e essa variável também deve ser considerada durante o planejamento, não apenas a cotação da moeda do país de destino. Com isso, é possível economizar grandes quantias se for levado em consideração quantas vezes essa taxa seria paga, caso o cartão de crédito nacional fosse utilizado no exterior.

A utilização de um banco durante a estadia no país também confere maior conforto e segurança no dia a dia. Com as transações sendo feitas digitalmente e protegidas pelo banco, não há necessidade de carregar uma quantidade grande de dinheiro físico. Assim, casos de assaltos e perdas são evitados, e, se for realmente preciso ter dinheiro em mãos para alguma transação, também é possível encontrar mais opções de caixas para saque, com limites maiores e sem restrição do número de retiradas.

Uma vantagem muito interessante é que alguns bancos permitem manter saldos em diferentes moedas. Essa possibilidade ajuda a observar de forma clara as quantias que o usuário possui e facilita a conversão das moedas, sejam elas em real, euro ou dólar, por exemplo, – é possível efetuar a conversão de valores através da própria interface do banco, sem a cobrança de taxas diferenciadas e altas.