Cartão de Crédito Consignado Dívida Infinita: veja como resolver

O cartão de crédito consignado pode ser uma boa opção para muitas pessoas em diversos momentos. Afinal, às vezes, precisamos de um dinheiro garantido e não temos anos para juntar dinheiro.

Ele sempre aparece para aposentados, pensionistas e funcionários públicos e tem um funcionamento que garante parte do pagamento diretamente na fonte. Mas, o que muitas pessoas não sabem – e, infelizmente, acabam caindo -, é que muitos bancos têm uma prática abusiva por trás desse tipo de operação. 

Além disso, muitos clientes procuram empréstimos consignados e acabam recebendo um desses cartões sem sequer saber.

Se isso aconteceu com você ou alguém próximo que agora tem um cartão de crédito consignado com dívida infinita, acompanhe os próximos tópicos e saiba como resolver esse problema!

É possível cancelar o cartão de crédito consignado com dívida infinita?

Sim. É possível, porém, precisamos avisar: é muito provável que você não consiga cancelar um cartão de crédito consignado de forma amigável, solicitando o cancelamento ao banco.

Tentando dessa forma, a instituição responsável normalmente vai dizer que você teve acesso aos dados de como ocorreriam as cobranças e taxas de juros – o que, na grande maioria das vezes, não é verdade.

Muitas informações costumam ser omitidas nesse processo a fim de convencer os clientes e mentir. E, analisando o contrato superficialmente, a impressão é de que você realmente concordou.

Apesar disso, muitos outros fatores devem ter anotação – fatores esses que, obviamente, as instituições não querem levar em consideração.

Portanto, o cancelamento de um cartão de crédito consignado com dívida infinita deve ser feito através de uma ação judicial, com a ajuda de um advogado especializado em empréstimos consignados.

Pode parecer impossível, mas, acredite: você pode e deve, sempre, correr atrás dos seus direitos enquanto consumidor. Principalmente em um caso como esse, onde você sofreu danos por uma empresa.

Muitos bancos já têm condenação pelo mesmo motivo e tiveram que dar aos clientes, além de devolver dinheiro – às vezes, até mesmo em dobro – e a anulação do contrato assinado, valores de cerca de R$10 mil por dano moral aos clientes.

Por que o cartão de crédito consignado cria uma dívida infinita?

cartão de crédito consignado

A maioria das pessoas que acabam pegando esse cartão de crédito consignado com dívida infinita são aposentados que já prejudicam a sua margem. E que, por algum motivo, desejam – ou precisam – emprestar mais dinheiro.

Assim, as instituições financeiras prometem a essas pessoas um tal “empréstimo” consignado de um valor X. Onde, segundo eles, o pagamento seria feito de forma mensal.

No entanto, quando ofertam esse serviço, intencionalmente não explicam que, na verdade, isso não é um empréstimo.

É um cartão de crédito consignado que acumulará uma dívida infinita gerada em seu nome até que você perceba o valor muito alto.

Sendo assim, na maioria dos casos, as vítimas só se dão conta do oque ocorreu quando são notificadas. Ou descobrem por outros meios – de uma dívida enorme que juntou, resultante desse cartão que nem elas mesmas sabiam que tinham.

Esse tipo de cartão pode ser sim interessante, se você souber como usá-lo e, claro, saber que adquiriu um.

No entanto, é muito importante tomar cuidado com bancos que escondem letras pequenas em contratos. E querem passar a perna nos clientes, principalmente quando se trata de idosos.

Corra atrás dos seus direitos

Tendo em vista que é muito difícil conseguir o cancelamento desse tipo de cartão sem brigas entrando em contato com a instituição financeira, não desista.

Entre em contato com um advogado e ele irá entender que você não sabia dessas cobranças no momento em que assinou o contrato. Afinal, casos como esse não são raros e acontecem com cada vez mais pessoas – muitas, inclusive, com os mesmos bancos.

Afinal de contas, você não tem obrigação de ter um cartão de crédito consignado com dívida infinita no seu nome para sempre. Gerando várias coisas muito ruins.

A culpa não foi sua e, se você entrar com uma ação na justiça, conseguirá resultados contra o banco que teve essas péssimas práticas.