Auxílio Permanente de R$1200: já está disponível?

Mães solteiras ficaram sabendo da nova promessa salarial de Bolsonaro. Nos últimos dias, a imprensa publicou várias notícias sobre o Auxílio Permanente. É um projeto votado no Congresso proposto pelo Partido Trabalhista para minimizar o impacto da atual crise econômica.


Auxílio Permanente nada mais é do que uma política de assistência social concedida a mães solteiras em situação de vulnerabilidade. Elaborado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), espera reduzir os indicadores de pobreza e pobreza extrema entre mulheres e crianças por meio de uma série de missões. Se validado por Bolsonaro, concederá um salário mensal de R$ 1.200 a todos os seus beneficiários.


A solicitação não pode ser feita diretamente. A população deve estar cadastrada no Cadastro Único para passar por verificação pelo Ministério da Cidadania. Somente quem está cadastrado na plataforma pode receber o salário social.

Quais os requisitos para receber o Auxílio Permanente?

  • Ser mulher e mãe de família;
  • Ter 18 anos ou mais;
  • Não possuir emprego formal ativo;
  • Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial e nem ser beneficiária do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o Bolsa Família, que será suspenso durante o recebimento do auxílio permanente;
  • Possuir uma renda familiar mensal per capita de até 1/2 salário-mínimo ou a renda familiar mensal total de até 3 salários mínimos;
  • Estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal;
  • Ser microempreendedora individual (MEI); contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social; ou trabalhadora informal, seja empregada, autônoma ou desempregada.

O que é auxílio permanente para mãe solteira?

Este é um subsídio para mães solteiras. Concederá um salário mensal de R$ 1.200 com o objetivo de garantir os direitos básicos de moradia, alimentação, educação, saúde e lazer para esses cidadãos e seus filhos.
A concessão deve ser feita por meio do Cadastro Único, se necessário para ser vinculado à plataforma. Ainda não há previsão para o primeiro pagamento, pois o texto que o rege ainda não foi aprovado pelo presidente Jair Bolsonaro.