Novo saque de 1.000 reais do FGTS: Veja se você tem direito!

Quem pode recorrer ao novo saque de 1.000 reais do FGTS? Veja aqui os detalhes da nova regra e como sacar.

Como funciona o saque de 1.000 reais do FGTS

Nas últimas semanas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, mencionou a possibilidade de liberação de mais uma rodada de saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A proposta é que o benefício possa ser utilizado para que os trabalhadores inadimplentes possam pagar suas dívidas. Para tanto, a pasta está considerando um lançamento para cerca de 40 milhões de pessoas.

Caso seja realmente possível uma rodada adicional, os trabalhadores terão a oportunidade de fazer um novo saque de 1.000 reais do FGTS. A medida deverá ter capacidade de injetar cerca de 30 bilhões de reais na economia do país, além de um impacto estimado de 0,3% no Produto Interno Bruto (PIB).

Novos saques do FGTS, se liberados, serão regulamentados por meio de Medidas Temporárias (MPs). Há algumas semanas, Paulo Guedes disse que a rodada extra seria liberada após o Carnaval, desde que o presidente da República, Jair Bolsonaro, assinasse os documentos.

Acredita-se que essa rodada de FGTS adicional seja semelhante ao saque emergencial emitido em 2020 devido ao impacto da pandemia de Covid-19. Dessa forma, cada trabalhador com saldo em contas ativas e inativas do FGTS pode sacar valores entre 500 reais e 1000 reais.

Tenha em mente que esta medida não foi formalmente regulamentada. No entanto, se implementado, o governo federal tende a seguir um calendário baseado no mês de nascimento do trabalhador. Observe que os saques não são obrigatórios.

Por que temos essa nova liberação?

Novo saque de 1.000 reais do FGTS

Enquanto alguns afirmam que a liberação de uma nova rodada de saídas especiais do FGTS é de natureza política, Bolsonaro permanece em segundo lugar nas pesquisas, uma vez que Lula foi oficialmente anunciado como candidato da bancada para as eleições presidenciais de 2022.

Por outro lado, membros do governo negam qualquer interesse político e alegam que seu objetivo é apenas ajudar trabalhadores em dificuldades financeiras e endividados.

Se a medida for realmente confirmada, será a terceira vez que Bolsonaro emitirá um saque especial do FGTS. A primeira vez, em 2019, seu primeiro ano no cargo, ajudou imensamente a economia do país. O segundo foi um roubo de emergência sob a influência da pandemia de Covid-19.

Na reunião, Paulo Guedes anunciou que o governo federal havia realizado uma série de estudos com um único objetivo, mesmo que os recursos do FGTS se tornassem uma forma viável de apoio aos trabalhadores que ganharam legalmente o dinheiro, mas foram proibidos de usá-lo. Quando achar conveniente, quando precisar.

“São pessoas que têm recursos lá e que estão passando por dificuldades. Às vezes, o cara está devendo dinheiro no banco e está credor no FGTS. Por que não sacar essa conta e liquidar a dívida dele do outro lado?”, indagou o ministro.