Gestantes têm direito ao Auxílio Brasil?

Gestantes tem direito ao Auxílio Brasil? Com certeza! Vamos te explicar sobre. Confere!

O Auxílio Brasil é o principal programa de transferência de renda. É, também, o principal programa com vínculo ao governo atual. Ele substituiu o Bolsa Família, funcionando da mesma maneira. O nome mudou, contudo, provavelmente para ganhar a cara do governo em vigor.

O governo aprovou o Auxílio Brasil para todo o ano de 2022. A taxa agora já está fixa em R$ 400, o que significa que todos os beneficiados recebem esse valor. O Auxílio Brasil é importante para famílias de baixa-renda, que precisam de ajuda financeira. São pessoas, portanto, em situação de pobreza.

Sem o Auxílio, é provável que muitos ficassem sem condições de arcarem com os custos básicos. Isso só aumentaria a pobreza no país, infelizmente. Todavia, a necessidade do Auxílio Brasil para quase 20 milhões de pessoas mostra que o Brasil ainda se encontra num ponto frágil de sua economia.

Atualmente, mais de 18 milhões de pessoas recebem o Auxílio. Esse número aumentou ao final do ano passado, quando o governo passou a PEC dos precatórios. O aumento foi necessário para custear os gastos do governo, apesar de ter gerado polêmica.

O prazo para o Auxílio Brasil é até o final de 2022. Contudo, é possível que ele seja prorrogado. São, afinal, 18 milhões de pessoas recebendo-o todo mês. Esse número — e o que ele indica — não muda rapidamente ao longo de um ano só.

cropped-emprestimo-auxilio-brasil.jpg

Gestantes têm direito ao Auxílio Brasil?

Sim, gestantes são uma das principais categorias para o benefício, desde que estejam em situação de baixa-renda. Além disso, a seleção do benefício priroriza famílias em situação social mais vulnerável. Elas são, portanto:

  • Indígenas e quilombolas;
  • Com membros em condição de trabalho infantil;
  • Com membros recém-libertos de condições similar à trabalho escravo;
  • Membros que catam material reciclável;

Então, após esses grupos, consideram-se as famílias de renda baixa. As duas categorias principais são:

  • Família em condição de extrema pobreza: renda per capita mensal de até R$ 105, tendo ou não crianças, adolescentes ou gestantes na família;
  • Famílias em condição de pobreza: renda per capita mensal entre R$ 105,01 e R$ 210, tendo crianças, adolescentes ou gestantes.

Também há, nesse caso, priorização na escolha. Os que possuem renda menor mensal per capita e as famílias com mais crianças e jovens entre 0 e 17 anos são priorizadas.

Para receber o auxílio, é necessário se cadastar no Cadastro Único (CadÚnico). Portanto, visite o setor da prefeitura para realizar o cadastro. No cadastro, o responsável pela família pasa por uma entrevista. Ele deve levar o CPF ou título de eleitor, e um documento de cada membro da família.

Lembre-se: o cadastro é feito de forma presencial. O Auxílio, todavia, pode ser recebido por meios digitais. Portanto, se já tem registro no CadÚnico, baixe o app do Auxílio Brasil. Você pode abrir uma conta poupança social digital.

No app, você pode conferir várias informações. Após fazer o login com seu CPF, a tela exibe seu saldo, se foi aprovado, o calendário de pagamento, o número de NIS e até um chat.